BArra BK2

segunda-feira

Banda Djavu: Conheça o novo sucesso que já tomou conta do país.


Criada em Dezembro de 2008 a Banda Djavu por onde passa vem fazendo um tremendo sucesso no Brasil inteiro.
Criada no interior da Bahia ,a banda não é forró e nem é calipso, o ritmo é denominado tecnobrega e conta sempre com a participação do criador o Dj Juninho Portugal.
O ritmo tecnobrega ganhou popularidade no Pará, agora ganha um representante significativo, a banda Dejavú.
A banda que chega com uma proposta inovadora no mercado - misturando o brega com o tecno - acaba arrastando novos e velhos para seus shows.
O sucesso já está se confirmando nas rádios de todo o país e claro, na agenda de shows da banda que por sinal anda lotada.
E eu que pensei que nada mais me assustaria esse ano.



Quer saber mais sobre a Djavu e conhecer todos os sucessos? Clique aquí.

5 comentários:

Claudia Teles Silva disse...

A banda é mesmo maravilhosa vi um show dela na Bahia. Ameeeeeeeeeeei

Indiara disse...

Amei esse Blog

vall disse...

Tuesday, September 29, 2009
A Cidade de Belém, o Estado do Pará & muito em breve O Resto do País CONTRA A BANDA DJAVÚ
Semana passada, quando assistia a banda Djavu se apresentar na versão que a Recod fez do Criança Esperança e as legendas com os nomes das músicas descreviam também os compositores, pensei que os baianos haviam feito um acordo com os belenenses. Pra quem não sabe do que estou falando, é só dar uma conferida em meu artigo sobre a cena musica de Belém que foi publicado no Bis MTV.

Qual não foi minha supresa ao verpublicado no portal Brega Pop a seguinte mensagem:

Atenção amigos !!! Quando um cantor chamado MARLON BRANDO ou um produtor chama DAVID da banda TRIO DAS APARELHAGENS , entrar em contato com DJS, PRODUTORES, ETC, pedindo ajuda com material ( playbacks,música ou etc ) , tome cuidado , pois, segundo fontes, eles estão repassando tudo isso para a banda DJAVU, que esta atrás de material para fazer um novo CD.

Marlon Branco é um produtor musical que atua a mais de oito anos em Belém, mas que nunca teve seu nome conhecido fora do estado do Pará. Como todo homem tem seu preço, parece que ele viu que a proposta dos caras da Djavú era uma ótima oportunidade para unir o útil ao agradável: divulgar seu nome e encher o cú de dinheiro que se dane a ética.

Só que tudo indica que o tiro irá sair pela culatra. O programa Balanço Geral da Record já citou o caso, falando da polêmica do plágio e agora a Record de Belém está preparando uma reportagem denúncia para ser veiculada em rede nacional. Segundo fontes quentes, existe inclusive uma gravação telefônica em que Gabi Amarantos, vocalista da banda Techno Show foi ofendida pelos empresários da Djavú. Gabi não é pouca bosta, ela foi entrevistado pelo Chris Anderson, ex editor da revista americana Wired e autor do livro Causa Longa (sobre os novos mercados digitais) para incluir suas declarações em seu novo livro.

Inclusive Chimbinha, que fez uma declaração contra o tecnobrega que me motivou a escrever a coluna citada no inicio deste texto, afirmou que manifestará, junto com sua esposa Joelma, apoio aos paraense nesta celeuma com os baianos. O Diário do Pará também noticiou que um processo de plágio está em vias de conclusão e que a Djavú será notificada em breve.

Apesas de plágio deste tipo já terem ocorrido, como foi o caso da própria Banda Calypso no começo de sua carreira, quando um belo dia Chimbinha recebeu a ligação de um amigo do Mato Grosso avisando que iria no show de sua banda, sendo que Chimbinha estava em Belém. Era outra banda usando seu nome. Foi esse episódio, inclusive, que serviu de gota dágua para que Joelma exigisse que seu marido usasse um diferencial visual, aquela mexinha no cabelo que ficou famosa. Só que neste caso é diferente, a Djavú está fazendo um sucesso absurdo em São Paulo e será muito complicado reverter esse caso sem uma ordem de prisão e total confinamento do larápios.

Essa história ainda dará muito pano pra manga e pode ter um final que surpreenderá muita gente, afinal, direitos autorais é gasolina em incêndio nestes tempos de apocalipse pirateiro. Quem viver verá e quem está vivo pode ouvir tudo, é tudo free nas comunidades de download. Boa diversão, meu estimado leitor

Timóteo Timpin Pinto Tuesday, September 29, 2009

Anônimo disse...

Pois é, pessoal, sou paraense e em Belém e quase todo o Pará o que mais se ouve é o CD e DVD da Djavú. Os vendedores ambulantes têm vendido mais CD/DVD da Djavú do que de outras bandas. Que ironia, em?
Alguns paraenses (minoria) continuam insistindo na questão do plágio, que a Djavú não fala que o ritmo é do Pará, etc.
Em todas as entrevistas a Djavú nunca nega a origem do ritmo que ela toca. O que eles dizem é que deram uma pitada baiana, e eles não estão errados, o ritmo é menos agitado que os technomelody do Pará. E, esse tempero parece ser o referencial que está dando certo e propagando o sucesso da banda.

Anônimo disse...

Nada do que falem ou façam algumas dezenas de paraenses, contra a Djavú, vai diminuir o sucesso da banda. Pelo contrário, toda essa polêmica criada só divulga ainda mais a banda que, a cada dia cresce em popularidade em todo o país, é a febre atual da música nacional.
Sou paraense e curto demais a Djavú!
DJAVÚ É SHOWWW!!

Pesquisa personalizada